top of page

Prefeitura do Rio exigirá comprovante de vacinação em locais de uso coletivo

Decreto da cidade inclui academias, cinemas, ginásios esportivos e locais turísticos mas não contempla bares e restaurantes.


O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD) publicou no Diário Oficial dessa sexta-feira, 27, que a partir da próxima quarta-feira, 1 de setembro, será necessário comprovar a vacinação para entrar em locais de uso coletivo. A regra vale tanto para cariocas quanto para turistas. Para a comprovação, poderá ser apresentada a carteira de vacinação digital do ConecteSUS, a caderneta física ou um papel timbrado da Secretaria Municipal de Saúde. A regra vale também para aqueles que tomaram apenas a primeira dose e seguirá um calendário com datas-limites para a vacinação completa de cada idade.

A datas foram estabelecidas levando em conta o período de 3 meses entre uma dose e outra.


Se enquadram na categoria dos locais que terão a exigência: academias de ginástica, piscinas, centros de treinamento e de condicionamento físico, clubes sociais, vilas olímpicas, estádios, ginásios esportivos, cinemas, teatros, salas de concerto, salões de jogos, circos, recreação infantil, pistas de patinação, atividades de entretenimento, locais de visitação turística, museus, galerias e exposições de arte, aquário, parques de diversões, parques temáticos, parques aquáticos, apresentações, drive-in, conferências, convenções e feiras comerciais.



Na opinião da Associação de Marketing Promocional (Ampro), a nova regra da cidade segue uma tendência que já vem acontecendo em outras partes do mundo. “A exigência de comprovação de vacina já vem sendo adotada em diversos países e a tendência é estender para todas as atividades. À medida em que a vacina esteja acessível a todos e que sejam facilitados os processos de comprovação, não julgamos a medida como um obstáculo para o setor, ao contrário, ela poderá trazer mais confiança àqueles que ainda hesitam em participar de eventos. Essa parece uma tendência irreversível, embora implique na necessidade de mais instrumentos de controle, julgamos importante a adoção da exigência para gerar maior confiança às empresas e patrocinadores em realizar e participar de eventos”, comenta Alexis Pagliarini, presidente da Ampro.






bottom of page